A Black Friday está chegando, você se preparou!?
A data comercial do consumo já estabelecida no mundo inteiro, e que a cada ano cresce ainda mais no Brasil.


Thiago Oliveira,
Executivo de Contas e Planejamento – Invente Comunicação

Contagem regressiva para a sexta-feira dia 29 de novembro, afinal, com ela vem junto a Black Friday… que é comemorada anualmente um dia depois do ‘’Dia de Ação de Graças’’. A data em si é conhecida mundialmente como uma ação promocional em que as empresas costumam oferecer grandes descontos em diversos produtos, e hoje até mesmo em serviços para o consumidor.

De acordo com algumas teorias, a “Sexta-feira Negra” (na tradução literal do inglês) seria um termo usado pela polícia norte-americana para a sexta-feira após o feriado de Ação de Graças (conhecido na terra do tio Sam como Thanksgiving). Por conta do feriado prolongado, era comum circularem vários carros pelas ruas das cidades, onde os comerciantes aproveitavam todo esse movimento para fazer promoções especiais e atrair a atenção dos consumidores.

O sucesso desta data se tornou enorme! Onde em geral as lojas ficam superlotadas e as mercadorias se esgotam muito rapidamente.

E aqui no Brasil não é diferente, afinal, a data vem crescendo em popularidade, e já caiu nas graças dos consumidores brasileiros, ainda que em alguns casos, o mesmo tenha que ter cuidado para não cair nas tradicionais e já apelidadas ‘’black fraudes’’ que existem por aí.

Só para se ter uma ideia, em 2018 a data movimentou aproximadamente 2,6 bilhões de reais em vendas, isso representa uma média de 6 a 8% de todo volume vendido aqui no país durante o ano.

E por mais que alguns varejistas pensem que a Black Friday é uma ação promocional que performa melhor para vendas apenas no ambiente online, aí vão alguns números da Provokers de 2018 que desmentem isso:

– 37% dos consumidores apontaram que fariam suas compras em lojas físicas;
– 38% dos consumidores apontaram que fariam suas compras em lojas online;
– 07% dos consumidores apontaram que fariam suas compras nos dois canais;

A título de comparação, em 2017 os números apontavam que a intenção de compra em lojas físicas era de 30%, enquanto 62% apontavam sites especializados.

E desta forma, eis que o varejo (independente do canal de vendas utilizado) precisa se esbaldar durante este período, afinal, é uma ótima oportunidade para ampliar as vendas, eliminar estoques e obviamente conquistar novos clientes!

Mas ainda é preciso ter mais consciência sobre o tema, melhorando a preparação do comércio e as ofertas que são feitas aos consumidores, para que estes, que já vêm com uma predisposição em consumir, possam fazer suas compras com um maior nível de satisfação.

Para tanto se faz necessário tomar alguns cuidados como:

Criar ofertas mais atrativas que visam aumentar a margem, pois uma das grandes preocupações ao decorrer da Black Friday é disponibilizar grandes ofertas aos consumidores, porém, sem queimar as margens de lucro. Para isto, a principal alternativa é oferecer promoções que tenham itens de baixa margem com alto desejo, juntamente a outro de alta margem com baixo desejo, exemplo:

• 1 aparelho celular + 1 capa de proteção;

Desta forma é possível uma redução percentual atrativa ao consumidor, evitando perda nas vendas em detrimento ao resultado que poderia ser apenas para queimar estoque.

Apresentar mais alternativas na entrega, afinal os consumidores são muito imediatistas, desejam receber o produto comprado o quanto antes. Por isto, conseguir disponibilizar várias opções de entrega, irá gerar um diferencial na hora de estabelecer o seu relacionamento com o consumidor durante a promoção. Isso pode ser feito seguindo dois exemplos bem comuns hoje em dia:

– Possibilitar que o cliente tenha condições de fazer sua compra pelo Site, mas criando a opção de retirar o produto em uma loja física dentro das proximidades. Em geral isto é tido como uma comodidade para o cliente. Além de que tal iniciativa pode transmitir a sensação de maior segurança no acesso ao produto no momento desejado e, ainda, acaba permitindo que a equipe de vendas da loja utilize a informação de compra para oferecer algum outro produto de forma complementar, fazendo o que consideramos um “upsell’’  (venda casada);

– Estabelecer parcerias com empresas que possam fazer as entregas locais (Uber/Bikes) visando obter uma otimização por meio de transportes alternativos; 

Aplicar um prazo maior de entrega, pois de modo geral o sucesso da data em questão se dá por meio da preparação logística de um varejista já organizado para pedidos em excesso, criando assim um gargalo na jornada de compra do seu consumidor. Por uma questão de segurança é melhor ampliar os prazos de entrega com o objetivo de ter um melhor gerenciamento dos processos até que o produto chegue nas mãos do seu cliente. O ideal é que este prazo seja em média de 5 dias úteis a partir de 24 horas da compra efetuada, em alguns casos até mesmo 10 dias, uma vez que grande parte dos lojistas estendem suas ofertas por mais tempo (ex.: Black Week – promoção de 1 semana).

Estruturar um sistema de SAC altamente eficaz, afinal dúvidas existem e se apresentam em dois momentos: primeiramente antes da compra com possíveis questões sobre os produtos, e por segundo após efetuada a compra com questões pertinentes à entrega. Isso sem contar o constrangimento de entregas erradas e defeitos apresentados. Então neste período promocional devemos ter atenção redobrada, pois é natural que com o aumento de compras, o volume de atividade do SAC cresça. Logo, aumentar a quantidade de colaboradores, ou mesmo expandir o turno da equipe já envolvida no processo, pode ser a diferença entre a tragédia e a eficiência.

Evite rupturas de estoque, pois a Black Friday é justamente uma data para aumentar o impulso de compra do consumidor, e isso faz com que seja muito difícil prever as vendas no período, e consequentemente ter a adequação do estoque que atenda a demanda. Na tentativa justamente de evitar isto e se resguardar até certo ponto, uma boa alternativa seria se conectar com a indústria (ex.: um varejista que vende eletrônicos, e os produtos de determinada marca acabam por se esgotar. Alternativamente a sua loja pode ter um link direto com o próprio fabricante. Isto pode ampliar sua capacidade com estoque passivo), ou seja, mais produtos, mais vendas.

Então lembre-se, Black Friday não é Black Fraude… se organize melhor e aumente suas vendas!

Para saber mais sobre estratégias, e como gerar resultados expressivos na Black Friday, procure a Invente Comunicação e boas vendas!

Entre em contato agora. A Invente irá projetar sua empresa no mercado de trabalho agregando valor e resultados positivos.